Projeto de Itabira é 1º lugar de Minas em evento nacional do SUS

O trabalho voltado para área farmacêutica foi apresentado no XXXVI Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde e conquistou o primeiro lugar de Minas Gerais Um projeto desenvolvido...

51

O trabalho voltado para área farmacêutica foi apresentado no XXXVI Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde e conquistou o primeiro lugar de Minas Gerais

Um projeto desenvolvido na rede municipal de saúde de Itabira, que estabelece minucioso acompanhamento de pacientes na área farmacêutica, foi premiado como a melhor prática de Minas Gerais durante 17ª Mostra “Brasil, aqui tem SUS”, no XXXVI Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. O evento foi realizado entre 12 e 15 de julho, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Agora, o projeto desenvolvido por servidores da Saúde estará em um documentário a ser produzido pelo programa “Brasil, aqui tem SUS”.

O trabalho premiado é da Comissão de Farmácia e Terapêutica, um grupo multidisciplinar da Secretaria de Saúde que promove ações de recuperação da saúde individual e coletiva durante o  serviço de assistência farmacêutica. A equipe vai além do simples repasse de medicamento ao usuário solicitante, agregando um assessoramento direto ao cidadão, com protocolos clínicos que incluem indicações de medicamentos não padronizados e terapias com uso e distribuição de fórmulas alimentares.

Esse trabalho foca pessoas que apresentam fatores de risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), como hipertensão, diabetes e desnutrição, dentre outras. A atuação ajuda a prevenir agravamentos e complicações dessas doenças, evitando também que, em longo prazo, isso possa sobrecarregar as redes de atenção secundária e terciária. O acompanhamento é realizado por uma equipe formada por médico, farmacêuticas, enfermeira e nutricionista.

O grupo atua internamente, com reuniões a cada 15 dias, para analisar os pedidos de protocolos clínicos encaminhados pelo Programa de Saúde da Família (PSF), com exames e documentos pré-determinados. Após análise pela CFT, os usuários retiram os medicamentos ou fórmula, de acordo com a necessidade. Com isso, é possível melhorar a qualidade de vida dos pacientes mesmo após sequelas de diversas patologias, episódios incapacitantes ou doenças associadas ao envelhecimento.

A superintendente de Assistência Farmacêutica, Insumos e Nutrição da Secretaria de Saúde, Natália Cristine de Oliveira Beltrame, explica que a atuação na rede primária é fundamental para evitar cenários piores para os usuários. “Essas ações que favorecem a formulação de enfrentamento e controle de doenças crônicas são essenciais na saúde pública, já que essas doenças são, globalmente, as principais causas de mortalidade e associam-se a deficiências e incapacidades funcionais”, comenta.

Somente no ano passado, foram analisados 513 protocolos encaminhados pelos PSFs, com solicitações de medicamentos e fórmulas alimentares. A partir da análise dos processos, a equipe atendeu 417 usuários, de recém-nascidos a idosos, sendo 53,2% mulheres e 46,8% homens. “É um trabalho do nosso dia a dia, com experiência exitosa, e que agora vai servir de modelo para outros municípios. Foi uma oportunidade imensurável apresentar o trabalho! Todas as ações são baseadas em evidências científicas e estudos de políticas públicas. Agradeço a toda equipe, que é super dedicada e comprometida”, afirmou.