Capela de São José é restaurada em Serra dos Alves

A igreja é um patrimônio histórico e cultural de Itabira e carecia há anos de intervenções na estrutura A Capela de São José, patrimônio histórico e cultural da...

47

A igreja é um patrimônio histórico e cultural de Itabira e carecia há anos de intervenções na estrutura

A Capela de São José, patrimônio histórico e cultural da Serra dos Alves, no distrito de Senhora do Carmo, foi entregue à comunidade restaurada neste sábado (9). Erguida em 1866, a igreja carecia de reformas estruturais há anos por seu interior estar corroído e com a presença de cupins. Além disso, o altar, teto, janelas e portas também estavam comprometidos. A reforma da capela foi realizada por meio da parceria da Prefeitura de Itabira, pela Diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural, Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano e Paróquia de Senhora do Carmo.

Durante a entrega da Capela de São José, o prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage, recebeu das mãos do administrador da Paróquia de Senhora do Carmo, padre Adriano Mendes, as chaves da igreja para que a porta fosse aberta. “A região da Serra  dos  Alves   traz  em   suas  raízes  mais de  300 anos de história e, hoje, nós demos mais um passo importante na contribuição desse legado. A preservação do patrimônio e o resgate da memória de Itabira e dos seus distritos faz parte do nosso projeto de cidade sustentável”, reforçou o prefeito.

Ícone do século XIX, a capela possui grande importância na formação do povoado que, segundo o padre Adriano, foi constituído a partir da fé. “Essa capela é um patrimônio histórico do nosso município, mas, para além disso, possui todo um significado na vida de fé dessa comunidade, que é tradicional e centenária”, destacou o pároco.

Ele afirma que por volta de 1870, em Serra dos Alves,  já havia uma comunidade de fé constituída sob a devoção de São José e, por isso, restaurar essa igreja e entregá-la à comunidade transmite um sentimento de profunda alegria. “O povo recebe aquilo que é de direito. O sentimento primeiro é de gratidão a Deus porque tudo foi ele quem desejou, mas também a gratidão à administração municipal que não mediu esforço para que esse projeto se tornasse realidade”, ressaltou o padre Adriano.

A obra na igreja começou em novembro de 2021 e foi executada a partir do Programa de Revitalização do Patrimônio Cultural do Município, aprovado pelo Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Artístico de Itabira (Comphai), com recursos do Fundo Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural (Fumpac), garantido pelo repasse de verba do ICMS Cultural. O valor do investimento é de R$ 284.015,50. Além do restauro interior, a capela também ganhou pintura nova.

De acordo com  Daniele Miranda Vieira Souza, diretora de Patrimônio Histórico e Cultural e presidente do Comphai, para realizar o restauro foi necessário um projeto de restauração arquitetônica proposto pela paróquia e aprovado pelo conselho. “Consideramos essa obra como prioridade dentro da diretoria por reconhecer a importância da capela para a comunidade. É um lugar de encontros e tradições. No entanto, ainda vamos precisar restaurar o piso, em parceria com a Secretaria de Obras, Transporte e Trânsito”, informou Daniele.

Para Silvio Martins dos Santos,  Capitão da Guarda de Marujos de Nossa Senhora do Rosário da Serra dos Alves, a capela reformada representa o cuidado com a tradição e a necessidade de preservar a memória, resgatando os costumes da comunidade. “Ver essa igreja assim é muito significativo pra gente porque nós temos mais de 200 anos de história, somos a primeira guarda fundada na região de Itabira. Essa igreja é uma marca e ponto de encontro da nossa fé e de quem nós somos”, disse o capitão.

História 

A edificação colonial originalmente foi construída em madeira, adobe e pau-a pique, sendo substituída posteriormente por alvenaria. Abriga peças em madeira, barro, papel machê, além de sino forjado em 1727. A capela foi tombada em 2004 e integra o conjunto urbano e paisagístico da Serra dos Alves.

O valor da capela enquanto um bem tombado, associado à importância da construção para a comunidade e à relevância para o desenvolvimento do turismo local, reforçam a necessidade da reforma para preservação da história da comunidade.

A igreja foi construída em terreno doado por Domingos Alves, Quintiliano Alves, Antônio Alves, Diogo Alves, Diolindo Luiz da Silva, Jesuíno Luis da Silva e Vicente Alves Costa, dando origem ao povoado de Serra dos Alves, um dos principais atrativos turísticos de Itabira.

O conjunto arquitetônico, formado pela capelinha e as casas ao redor, estão inseridos na Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira e formam um cenário de grande beleza, junto à Serra dos Alves, que pode ser avistada do adro da igreja.