Em congresso, Marco Antônio defende uma mineração com legados para os municípios impactados

Prefeito de Itabira participou de painel sobre reconversão produtiva durante o 37º Congresso Mineiro de Municípios  Neste 1º de junho de 2022, quando a Vale completa 80 anos...

130

Prefeito de Itabira participou de painel sobre reconversão produtiva durante o 37º Congresso Mineiro de Municípios 

Neste 1º de junho de 2022, quando a Vale completa 80 anos de mineração em Itabira, o prefeito Marco Antônio Lage defendeu um modelo de atividade que considere deixar legados aos municípios impactados. O chefe do Executivo falou sobre o tema durante um painel voltado a práticas de reconversão produtiva, no 37º Congresso Mineiro de Municípios, no Expominas, em Belo Horizonte.

“São 80 anos da Vale e 80 anos de mineração em Itabira. Muitos ainda dizem o contrário, mas não é a Vale a mãe de Itabira, Itabira é a mãe da Vale. E o que a gente tem discutido, inclusive com a direção da empresa, é de que chegou a hora dessa filha rica, bem criada e desenvolvida, cuidar da mãe. É o modelo que acreditamos e que pode ter Itabira como uma percussora na mineração”, comentou o prefeito.

Itabira é a cidade piloto dentro do Projeto Estadual de Reconversão Produtiva em Territórios Minerados, programa criado por entidades como a Amig, Ibram, Fiemg, Sebrae, BDMG e Governo de Minas Gerais para apoiar os municípios que têm suas economias fortemente ancoradas na mineração a identificarem novas possibilidades de sustentação econômica e desenvolvimento local. Desde o ano passado, o projeto envolve lideranças do município em diversas atividades.

Ao falar para líderes dessas entidades e demais convidados, o prefeito Marco Antônio Lage fez uma análise da mineração em Itabira ao longo das oito décadas de extração mineral e lamentou que muito pouco tenha sido feito em anos passados para a garantia da diversificação. Agora, com data estipulada para exaustão em 20 anos, a tarefa é construir o novo cenário econômico no tempo mais curto possível.

“Itabira já cedeu à Vale mais de 2 bilhões de toneladas de minério de ferro nestes anos de mineração. Se pensarmos em compensações, incluindo financeiras, o que recebemos é muito, mas muito distante desse montante. E este não é um discurso contra a mineração. Nada disso! É um discurso por um novo modelo de mineração, que considere deixar legados às comunidades impactadas. Precisamos mudar o comportamento”, declarou.

Desde o início da atual gestão, Prefeitura e Vale discutem a execução de projetos estruturantes que preparem a cidade no presente e para o futuro sem a mineração. Todo o processo é intermediado por uma consultoria internacional, patrocinada pela própria Vale, que auxilia na construção desses projetos e programas. A expectativa é de que as ações sejam abertas à sociedade civil nas próximas semanas para debate amplo sobre as plataformas.

Mais debates

O prefeito de Itabira volta a falar sobre mineração no 37º Congresso Mineiro de Municípios nesta quinta-feira (2), também no Expominas. A partir das 15 horas, na Sala Noroeste, Marco Antônio Lage participará do painel “Atuação do Ministério Público na Defesa do Meio Ambiente – Cenário Atual das Atividades de Mineração no Estado de Minas Gerais”. O chefe do Executivo estará ao lado de outros prefeitos de cidades mineradoras, representantes do MPMG e de entidades no painel de debates.