Vereadores aprovam instituição do Código Municipal de Defesa do Consumidor

Matéria prevê ampliação e fortalecimento do órgão O Projeto de Lei 1.220/2021, que institui o Código Municipal de Defesa do Consumidor, foi aprovado por unanimidade em primeiro turno...

586

Matéria prevê ampliação e fortalecimento do órgão

O Projeto de Lei 1.220/2021, que institui o Código Municipal de Defesa do Consumidor, foi aprovado por unanimidade em primeiro turno na reunião ordinária da Câmara Municipal de João Monlevade dessa quarta-feira, 6.

A matéria é de autoria do vereador Gustavo Prandini (PTB) e do presidente da Casa, Gustavo Maciel (Podemos). De acordo com os parlamentares o Código de Defesa do Consumidor é um dos mais modernos do mundo, porém, ainda faltam ajustes para garantir que os direitos do consumidor brasileiro estejam protegidos. Segundo eles, a matéria aprovada prevê a adequação do Código para a realidade local, objetivando a ampliação e o fortalecimento dos direitos do consumidor.

Gustavo Prandini destacou que existe uma preocupação em fortalecer o Procon no município. Ele explicou que o Código não cria novos direitos, mas estrutura a legislação vigente de forma que o Procon tenha mais poder de ação, fiscalização e autuação, bem como instrumentos de arrecadação que serão destinados ao Fundo Municipal de Defesa do Consumidor.  Prandini destacou que com estes recursos o Procon poderá, por exemplo, realizar campanhas de conscientização em vários pontos da cidade.

O vereador Gustavo Maciel endossou a fala de Prandini no que diz respeito ao fortalecimento do Procon. Segundo ele, o projeto contribui para que o órgão ofereça, ainda mais, um serviço de qualidade para os consumidores.

Os vereadores Belmar Diniz (PT), Revetrie Teixeira (MDB), Fernando Linhares (União) e Marquinho Dornelas (PDT) parabenizaram os parlamentares pela autoria da matéria. Eles enfatizaram a importância em conferir ao órgão mais autonomia para que ele garanta aos consumidores a defesa dos direitos.

Aprovações em Redação Final:

Ainda durante a reunião os vereadores aprovaram em redação final o Projeto de Lei nº 1.239/2021, de iniciativa do Executivo, que Altera a Lei Municipal nº 955, de 13 de dezembro de 1989, que institui o Plano de Cargos e Salários da Prefeitura Municipal de João Monlevade, e dá outras providências.

O projeto de Lei nº 1.245/2022, de iniciativa do vereador Gustavo Prandini, também foi aprovado. A matéria cria o Selo Municipal “Amigo dos Animais” e dá outras providências.

Por fim, foi aprovado o Projeto de Lei nº 1.253/2022, de iniciativa do Executivo, que dá nova redação ao caput do artigo 7º da Lei Municipal nº 2.399, de 09 de julho de 2021 que autoriza o município de João Monlevade a contratar com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S/A – BDMG, operações de crédito com outorga de garantia. 

Aprovação de Anteprojetos

 O anteprojeto 09/2022, apresentado pelos vereadores Doró da Saúde (PSD) e Tonhão (Cidadania) também foi aprovado. A matéria autoriza a concessão de vale alimentação aos servidores públicos inativos. O projeto recebeu votos contrários dos vereadores Belmar Diniz, Fernando Linhares e ausência plenária dos vereadores Rael Alves e Vanderlei Miranda.

Requerimentos Aprovados

Dois requerimentos também foram aprovados na reunião. O primeiro deles, de nº 13, do vereador Gustavo Prandini e outros, requer informações sobre o projeto denominado “Esperança 2, no bairro Nova Esperança. O vereador Revetrie Teixeira se absteve do voto.

Também foi aprovado o requerimento nº 14, de iniciativa do parlamentar Revetrie Teixeira. A matéria solicita reformas na estrutura física e de pessoal no Posto de Saúde do bairro Nova Esperança. Segundo o vereador, em visita ao local ele encontrou várias irregularidades.