Comitê apresenta dados e intensifica ações para combater mortalidade infantil em Itabira

Reunião de trabalho foi realizada nessa segunda-feira (25), no auditório da Prefeitura Em uma reunião realizada no auditório da Prefeitura de Itabira, nesta segunda-feira (25), foi apresentado ao...

26

Reunião de trabalho foi realizada nessa segunda-feira (25), no auditório da Prefeitura

Em uma reunião realizada no auditório da Prefeitura de Itabira, nesta segunda-feira (25), foi apresentado ao Comitê de prevenção da mortalidade materna, infantil e fetal do município dados compilados para investigação de estudo de casos de mortalidade dessa população. As informações elaboradas foram divulgadas aos gestores de saúde e membros do comitê. Os dados são do ano de 2020, em comparativo com anos anteriores e mostram índices de Itabira e do Brasil.

Para os cálculos foram considerados dados oficiais do IBGE com uma população uma população estimada em 120.904 habitantes. Nos registros de 2020 constam 1.299 nascidos vivos, 12 óbitos fetais e 13 infantis. De acordo com a apresentação do ginecologista Virgilino Quintão Torres, médico da SMS, o índice considerado aceitável para mortalidade infantil pela Organização Mundial de Saúde é de 10 óbitos por 1.000 nascidos vivos.

Os dados de mortalidade infantil registrados no Brasil em 2020 ficaram em 12 por 100 mil habitantes, sendo que no Japão o índice é de dois óbitos por 100 mil habitantes.

O prefeito Marco Antônio Lage participou do encontro e reafirmou o compromisso de investir na saúde primária para melhorar os índices de mortalidade na cidade. “Os dados apresentados, principalmente da taxa de mortalidade infantil, estão longe de ser o que a gente imagina para uma cidade do perfil de Itabira, com a renda percapta que temos aqui. Precisamos fazer com que a área da saúde pública tenha assistência expandida de forma articulada entre um sistema que passa pelos comitês voluntários, pelos PSF’s, agentes de saúde até chegar aos hospitais. Precisamos ter uma atenção maior para reduzir os números de mortalidade infantil em nossa cidade”, disse Marco Antônio Lage.

O chefe do Executivo Municipal ainda garantiu que a saúde pública é uma das prioridades do governo e a implantação de uma UTI neonatal no município é uma meta a cumprir. “Estamos fazendo estudos para implantar uma UTI neonatal pública em itabira. É recomendado que o hospital filantrópico também tenha, é um investimeo privado. É fundamental que Itabira ofereça esse serviço, pois somos micropolo, com atendimento a mais de 12 cidades da região, podendo nos tornar macropolo em saúde pública no futuro”, finalizou.

O Comitê

O Comitê Municipal de Prevenção da Mortalidade Materna e Infantil de Itabira tem como principais objetivos investigar e estudar os óbitos maternos, infantis e fetais de residentes do município, identificar fatores de evitabilidade e analisar falhas sistêmicas passiveis de correção, elaborar e apresentar propostas de medidas para redução dos óbitos evitáveis aos gestores da saúde no município, mobilizar população, profissionais da saúde e poder público para participação ativa na busca por melhorias na assistência materno-infantil.