Metabase intensifica campanha contra Covid-19 nas empresas mineradoras

O presidente do Sindicato Metabase de Itabira e Região, André Viana Madeira disse que está intensificando, junto às empresas mineradoras, as ações de prevenção ao contágio do Covid-19,...

67
O presidente do Sindicato Metabase de Itabira e Região, André Viana Madeira disse que está intensificando, junto às empresas mineradoras, as ações de prevenção ao contágio do Covid-19, tendo em vista o aumento dos casos em toda a região.
A fiscalização realizada pelo sindicato é constante, “mas outras ações são necessárias”. André tem se reunido constantemente por meio de videoconferências com as empresas para tomar ciência de todas as ações aplicadas e o cumprimento das acordadas. “Recentemente a Vale, Bemisa e Belmont/Canaã atenderam, em dias diferentes, uma convocação do sindicato para esclarecer os itens que estava adotando com os trabalhadores. Os representantes das empresas apresentaram relatório de todas as ações que, como eu disse, são intensamente fiscalizadas pelos diretores que estão na ativa, nas minas e participam presencialmente dos procedimentos. As denúncias que chegam até nós, relatam sobre aglomerações na chegada e saída dos trabalhadores e até cobrança excessiva por desempenho. Essa cobrança é devida aos trabalhadores que estão em casa por pertencerem ao grupo de risco. A chefia cobra insistentemente pela manutenção da produção, fazendo com que o trabalhador tenha que se desdobrar, levando-o ao cansaço extremo”.

Empresas terceirizadas
O presidente do maior sindicato da região ponderou sobre as diversas denúncias que a instituição vem recebendo por desobediências aos protocolos de prevenção ao contágio:

“Infelizmente há um desleixo por parte de algumas empresas terceirizadas (contratadas). Defendemos que as ações implantadas pelas empresas contratantes, sejam acatadas pelas empresas que prestam serviços terceirizados. Dentro das minas não existe cor de camisa, de uniforme. Dentro das minas são todos trabalhadores, pais de famílias, infelizmente expostos aos riscos do contágio e o pessoal das terceirizadas não podem estar ainda mais expostos que outros, por causa da ingerência de sua empresa”.
André lembra que a responsabilidade pelos atos das terceirizadas vem de quem contrata: “A função do gestor de contratos é, entre outras atribuições, verificar o devido cumprimento das cláusulas contratuais e obviamente, zelar para que o risco de contágio entre trabalhadores seja o menor possível”. O Metabase Itabira criou um departamento exclusivo para receber denúncias, desta maneira há um controle dos problemas apresentados pelos funcionários e um cronograma de resolução a ser seguido, não deixando o denunciante sem resposta.

Vacinas
Ainda sobre as vacinas, o presidente continua na defesa pela compra de vacinas para proteção dos trabalhadores. “A Câmara aprovou recentemente o texto-base de uma nova proposta que permite às empresas comprarem vacinas contra a Covid-19 para a imunização gratuita de seus empregados, desde que doe a mesma quantidade ao Sistema Único de Saúde (SUS). O texto facilita a vacinação, já que antes primeiro doava-se 100% aos SUS, agora não, a vacinação dos funcionários já pode ser feita imediatamente”.

A aquisição das vacinas poderá ser feita pelas pessoas jurídicas de direito privado, individualmente ou em consórcio. Poderão ser vacinados ainda outros trabalhadores que prestem serviços a elas, inclusive estagiários, autônomos e empregados de empresas de trabalho temporário ou de terceirizadas.
André completa: “Ela (vacinação) irá acelerar a imunização dos trabalhadores e salvar vidas. Por que esperar se podemos adiantar o processo de vacinação, ou seja, as empresas têm capital para comprar o material, mais barato que os testes de identificação do vírus. Elas (empresas) poderão adquirir, respeitando as regras da lei e garantir tranquilidade, não apenas aos funcionários, mas aos seus familiares e até amigos”.
O presidente lembra que é mais uma etapa na luta contra o vírus, pois, “além de cooperar com o governo federal, vai possibilitar a entrada de mais imunizantes no país”.
Atenciosamente,