Mulher tem namorado assassinado, é sequestrada pelo ex e fica sem o filho

Série de crimes aconteceu no Mato Grosso; suspeito está preso e filho da vítima teve que ser entregue à família paterna por exigência do sequestrador Nesta semana, Cuiabá...

290

Série de crimes aconteceu no Mato Grosso; suspeito está preso e filho da vítima teve que ser entregue à família paterna por exigência do sequestrador

Nesta semana, Cuiabá foi cenário de uma história trágica ainda sem desfecho. No sábado (29), Larícia Melhorança Reyes, 36 anos, foi sequestrada pelo ex-marido, José Antônio de Assis, após ter assistido ao assassinato a tiros do namorado, Roberto Lemos dos Santos, 50 anos. A série de crimes começou em um posto de gasolina da capital do Mato Grosso e terminou com o sequestro do filho de 4 anos de Larícia e José Antônio.

Do posto de gasolina em Cuiabá, após atirar em Roberto, José Antônio partiu com os Larícia em direção ao município de Pontes e Lacerda, a cerca de 500 quilômetros da capital. Por lá, ele abandonou a ex-mulher e o carro próximos a um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), fugindo e se tornando foragido da polícia.

Após denúncia anônima, o homem foi localizado pela polícia escondido em uma chácara na zona rural de Pontes e Lacerda. Ele estava com o filho no colo. Segundo o delegado Gilson Delta, que conduz as investigações no município, ao ver a casa cercada, ele resistiu à prisão e usou o filho como escudo.

Após negociações que se estenderem por seis horas, o homem se rendeu com a condição de que o filho fosse entregue aos cuidados da avó paterna.

“José Antônio resistiu à prisão, fez reféns e, ao negociar com o delegado de Pontes e Lacerda, concordou em entregar momentaneamente a criança à avó”, afirmou ao G1 a titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Jannira Laranjeira, que conduz as investigações em Cuiabá.

Segundo a delegada, a mãe poderá ter a guarda do filho em breve. Desde novembro deste ano, o menino vivia com o pai, embora a guarda também fosse da mãe. Na época, Larícia havia sido mantida em cárcere privado em sua própria casa por José Antônio por cerca de cinco horas, conforme a mulher contou em entrevista à TV Centro América. Na ocasião, ele exigiu ficar com o filho e se comprometeu a deixar a família em paz.

A polícia investiga se a família de José Antônio o ajudou a cometer os crimes dos quais é suspeito. De acordo com a delegada da DHPP, existe a hipótese de que ele pretendesse fugir para fora do Brasil.

Em Pontes e Lacerda, José Antônio foi autuado por sequestro, cárcere privado e porte ilegal de arma. Em Cuiabá, ele deverá responder também pelos crimes de homicídio e sequestro.

Fonte: Claudia.abril