O que fazer em caso de queimadura de água-viva – e o que não fazer!

No verão, época de reprodução das águas-vivas e de mais banhistas no mar, aumentam os números de queimaduras. Se você for vítima, preste atenção nas dicas. Você está...

79

No verão, época de reprodução das águas-vivas e de mais banhistas no mar, aumentam os números de queimaduras. Se você for vítima, preste atenção nas dicas.

Você está no mar, se refrescando sem se preocupar com nada e, de repente, sente uma forte dor. Se uma água-viva encostou na sua pele, vai arder! Isso porque os tentáculos desses animais são dotados de filamentos que injetam uma toxina que dá a sensação de queimadura mesmo.

Nessa hora, saiba exatamente o que fazer e o que não fazer para não piorar a situação:

– Saia do mar imediatamente.

– Não tente remover o animal ou as partes que restaram dele com as mãos. Use um objeto (mesmo que seja um palitinho de sorvete) para não se queimar ainda mais.

– Jogue água do mar em abundância para eliminar qualquer resquício da água-viva. Nunca jogue água doce, pois isso pode agravar a lesão.

– Não esfregue o local!

– Não passe pomadas ou qualquer medicamento sem orientação médica.

– Faça compressas com vinagre puro – pode molhar toalha e deixar sobre a pele queimada. O vinagre neutraliza as toxinas e alivia a dor.

– Não adianta passar xixi na queimadura, isso é fake news! Não há na urina ácido suficiente para atenuar o veneno.

– Ao chegar em casa, depois de se certificar que não há mais nenhuma parte do animal aderida à pele, faça uma imersão do local em água quente (40ºC) por 20 minutos.

Normalmente, as águas-vivas da costa brasileira são inofensivas e bastam esses primeiros-socorros para tudo terminar bem. Porém, procure médico se a área queimada for muito grande, se a dor não passar, se houver alergia, se sentir enjoo, mal-estar, vômito.

E atenção: mesmo que a água-viva esteja na areia e pareça morta, não toque nela. Ela também pode queimar.