Elas contam como foi a primeira vez em que gozaram com uma mulher

Quatro mulheres viveram experiências quentes com outras mulheres e contam suas histórias para te inspirar a tornar esta fantasia realidade. SURPRESA SEXY “Estava em uma happy hour com...

15 0

Quatro mulheres viveram experiências quentes com outras mulheres e contam suas histórias para te inspirar a tornar esta fantasia realidade.

Kama sutra lésbico

SURPRESA SEXY

“Estava em uma happy hour com mais três amigos do trabalho, dois homens e uma mulher, e resolvemos parar em um motel na volta para casa. Quando entramos no quarto, um dos caras não se sentiu confortável e resolveu tomar banho. A essa altura, eu já estava na cama, em meio às preliminares, muito envolvida com o outro boy, quando minha amiga se aproximou e troquei de parceiro no sexo. Nós nos beijamos, nos tocamos, fizemos carinho uma na outra. Ela tinha um bumbum bem grande e a acariciei bastante naquela região; já ela beijou meus seios… O cara com quem eu estava ficou só nos observando. Quando ela desceu pelo meu corpo para fazer sexo oral, achei o toque bem diferente. Gozei. Me sentia mais relaxada e excitada com a presença dessa mulher na cama. A penetrei com os dedos, mas não a vi atingir o clímax. Foi um momento único e nunca mais falamos sobre o que aconteceu.” Sofia*, 35 anos, empresária, São Paulo (SP)

 

SHOW DE ORGASMOS

“Antes de transar com uma mulher pela primeira vez, eu já tinha transado com outros homens, mas nunca cheguei ao orgasmo. A primeira vez com uma mulher rolou com minha namorada da época. Estávamos sozinhas em casa quando transamos. Começamos nos beijando, ela tirou minha blusa, meu sutiã, fez carícias nos meus seios e beijou meu pescoço. Todos aqueles carinhos me deram tesão e vontade de continuar, mas ao mesmo tempo fiquei tensa e quis parar. Minha namorada me relaxou e seguimos. Ela continuou beijando meu corpo e descendo até tirar minha calcinha e fazer sexo oral por uns 20 minutos. Nenhum homem tinha feito isso antes! Conforme ela foi tirando minha roupa, também tirei a dela. Beijava seu pescoço, puxei o cabelo dela. Ficamos umas duas horas transando, e acho que gozei umas cinco ou seis vezes. Nós também nos penetramos com os dedos e testamos algumas posições: começamos comigo deitada de barriga para cima, depois fiquei de lado, de quatro. No fim dessas duas horas, estava sem forças até para levantar da cama. Hoje eu sei que sexo bom é quando a gente se sente desse jeito.” Natalia, 25 anos, enfermeira, São Paulo (SP)

 

VIAGEM COM TESÃO

“Conheci uma mulher em um site de relacionamento — ela morava em outra cidade. Até então, com mulheres, só tinha trocado beijos, e me questionava se eu gostava mesmo ou se me sentia assim por ter uma irmã gay. Resolvi arriscar, comprei uma passagem para visitá-la e alugamos um flat. Logo que chegamos, já a joguei na cama e comecei a beijá-la. Fui descendo até chegar à vagina para o sexo oral. Eu sentia as reações da minha parceira: se a perna tremia, por exemplo, eu sabia que estava no ponto certo… Eu gozei só de ver e sentir o corpo dela chegando ao clímax com as minhas carícias. Depois ela também me acariciou e fez sexo oral em mim. Gostei tanto da experiência que passamos cinco dias no quarto, transando sem parar.” Ana, 29 anos, chef de cozinha, São Paulo (SP)

 

CONVIDADA ESPECIAL

“Eu adoro visitar casas de swing. É um ambiente em que me solto e que é extremamente excitante. Só de me imaginar ali, meu corpo já responde. Uma tarde combinei com um amigo de irmos juntos a uma. Chegamos lá e começamos a conversar com um casal: ela era morena, tinha seios grandes, cabelo liso e boca bem desenhada. Ele era um homem de meia-idade e grisalho. Fui dar uma volta na casa, observar os ambientes, e depois de um tempo meu amigo veio me contar que eles queriam transar com a gente. Entramos no local reservado e fiquei de frente para meu amigo. Logo senti que a mulher chegou por trás de mim. Fiquei um pouco nervosa, mas decidi me soltar. Ela começou a beijar meu pescoço, colocar a mão no meu cabelo… Como eu estava de vestido de alcinha, a mão entrou por dentro da minha roupa e começou a acariciar meu corpo. Mesmo com os olhos fechados, senti que meu amigo saiu da minha frente e me deixou só com a outra mulher. Ela me levou até a cama e começamos a nos beijar. Ela não parava de tocar meu corpo. Nunca imaginei viver uma situação como essa, mas na hora em que os lábios dela tocaram meus seios fiquei com muito tesão. Gozei quando ela começou a fazer sexo oral em mim. Na verdade, tive orgasmos múltiplos com a experiência. Não sei quanto tempo durou nosso momento, mas ela dominou toda a situação e nem chegamos a interagir com os homens. O máximo que fiz naquele dia foi chegar aos seios dela, mas tenho vontade de viver a experiência por completo.” Caroline, 36 anos, consultora de novos negócios, São Paulo (SP)

 

 


Comentários