DEXTER 8º ANJO, SHABÊ FURTADO E DADYER AGUILERA COLOCAM O PÚBLICO PARA DANÇAR NO MEMORIAL VALE

A última semana de novembro do Memorial Vale traz Dexter 8º Anjo para comemorar os 10 anos do museu. E ainda conta com o suingue do “Visão Monocular”...

37

A última semana de novembro do Memorial Vale traz Dexter 8º Anjo para comemorar os 10 anos do museu. E ainda conta com o suingue do “Visão Monocular” de Shabê Furtado, o show da artista Lulis, a dança de Dadyer Aguilera e o show “Um pouco de Soul”, de Joanne Fernandes. O concerto da violoncelista Francisca Garcia com o pianista Santiago Vasconcelos faz o contraponto clássico. E o projeto Sensações Memoráveis traz reflexões, com o vídeo “Sinto, Logo Sou!”, da musicoterapeuta Marília Schembri.

As ações do Educativo “Sementes da Diáspora” e “Dicas Pretas”, que ressaltam a valorização da cultura negra, acontecem na quarta-feira e na sexta-feira. Três exposições continuam em andamento no site do Memorial Vale: “Colheres”, com Hana Brener, “Passagens”, de Maria Vaz e “Sobre Pedras e Nuvens” de Maíra Mancini. Para a exposição “Centennials”, da fotógrafa Márcia Charnizon, há um link/banner no site do Memorial Vale que direciona para a exposição na páginda da artista.

O Memorial Vale está aberto para visitação, mas a programação cultural continua online, seguindo o planejamento do #MemorialValeEmCasa, no Youtube, nas redes sociais do espaço (facebook e instagram) e no site. As transmissões feitas pelo Youtube ficam disponíveis no canal do Memorial.

Confira os detalhes da programação:

24/11 – SHOW LULIS

De 24 de novembro, quarta-feira, às 19h30, o Memorial Vale apresenta o show da cantora e compositora mineira Lulis, que apresenta as músicas do seu primeiro álbum ainda inédito, que acaba de ser gravado no estúdio UN Music, com a produção assinada pelo renomado produtor carioca Kassin, que já produziu artistas como Caetano Veloso, Vanessa da Mata, Mallu Magalhães e Los Hermanos. A apresentação será no YouTube, integra o projeto “Gerais, Cultura de Minas” e foi selecionada pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021.

O trabalho tem como base a música popular brasileira, flertando com estilos que vão desde a bossa nova ao indie rock. Trata-se de um trabalho muito eclético, de referências múltiplas. A artista se apresenta junto dos músicos Matheus Fleming (guitarra), Fernando Bones (baixo), Gabriel Bruce (bateria) e Fred Selva (synth).

Lulis é multiartista, comunicadora e produtora. Lançou seu primeiro EP “Deserto” em 2017, com produção de Nobat e Leonardo Marques. Por muitos anos acompanhou o músico e marido Nobat em turnês nacionais e internacionais como percussionista e backing vocal, além de ter gravado em seus últimos discos de estúdio. Lulis já se apresentou em diversos festivais como o Urban Bossa’n Jazz, Festival Transborda, IDEA em Pauta, etc. Acompanhando Nobat, se apresentou na Virada Cultural de São Paulo, na SIM São Paulo, Palco Ultra Festival, dentre muitos outros palcos.

24/11 – SEMENTES DA DIÁSPORA (3/11, 10/11, 17/11 e 24/11)

Todas as quartas-feiras, às 14 horas, o Educativo do Memorial Vale realiza a instalação “Sementes da Diáspora”. Iniciada em 2019, a ação consiste numa instalação na qual a partir de cards (envelopes com sementes de plantas de origem africana estampados com imagens e informações sobre personalidades afro) instalados no Baobá construído pelo Educativo, o visitante é convidado a “colher” essas sementes e refletir sobre o apagamento do protagonismo negro na nossa história. Nesses tempos de distanciamento por causa da pandemia, a ação continua de forma virtual, nas redes sociais do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

26/11 – DICAS PRETAS (5/11, 12/11, 19/11, 26/11)

Às sextas-feiras, às 11 horas, o Educativo divulga as “Dicas Pretas”. São pílulas, com dicas de livros, filmes, etc. com temática étnico racial e produzida por pessoas negras, dando um destaque para produções literárias destinadas ao público infantil. O objetivo é contribuir para discussões sobre as questões étnico raciais, trazendo indicações de conteúdo que ajudem a refletir e conhecer mais sobre a identidade negra. A ação acontece no Instagram do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

26/11 – “VISÃO MONOCULAR”, COM SHABÊ FURTADO

No dia 26 de novembro, sexta-feira, às 19 horas, Shabê Furtado, ou MC Shabê, representante da cultura Hip Hop, apresenta o pocket show do seu disco solo “Visão Monocular”, acompanhado do DJ Edd e com as participações especiais de PDR Valentin e Dokttor Bhu. Tendo o RAP com base, Shabê passeia por vários gêneros musicais. A apresentação é online, no YouTube do Memorial Vale. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo”, do Memorial Vale.

Shabê iniciou sua caminhada artística na dança ainda nos anos 90, quando fez parte do grupo de dança urbana Caçadores de Estilo. No início dos anos 2000 lançou seu primeiro CD ao lado do amigo Maurô, também dançarino do grupo Caçadores de Estilo, trabalho que saiu pelo selo “Black White Discos” com o título “Shabê e Maurô”. Mas sua carreira como MC teve início mesmo em 2006, quando fez dupla ao lado do veterano Dokttor Bhu. “Depois que esse trabalho acabou, numa aproximação natural com o Dokttor, e ele também tinha parado com o Divisão de Apoio, propus de fazermos um som juntos, aí ele veio com a ideia de uma primeira música que foi a “O Que Cê Quer Broda”, feita sem compromisso para outros sons e estamos aí até hoje”, relembra Shabê. Em 2011 a dupla lançou o álbum Conglomano, com 11 faixas e Shabê participou dos trabalhos de diversos artistas como Heberte Almeida, Roger Deff, Cromossomo Africano, entre outros.

27/11 – SHOW DE DEXTER 8º ANJO, COM ABERTURA DO DJ NEDU LOPES

No dia 27 de novembro, sábado, às 19 horas, Dexter 8º Anjo, como é conhecido pelos fãs, grande referência no Hip Hop nacional, uma das atrações escolhidas pelo Memorial Vale para comemorar 10 anos, se apresenta no YouTube do Memorial Vale. Para a abertura do show foi convidado o DJ Nedu Lopes, que figura hoje entre os melhores DJs do mundo. O evento integra o projeto Diversidade Periférica e a programação do Mês da Consciência Negra. A curadoria é de Patrícia Alencar, integrante da CUFA – Central Única das Favelas.

Marcos Fernandes de Omena, conhecido pelos fãs como Dexter 8° Anjo, é referência no hip hop nacional desde os anos 90, quando fundou o grupo 509-E. O apelido foi inspirado no filho de Martin Luther King Jr, Dexter Scott King, e significa: destro, direito, correto, sagaz, e ligeiro. Segundo Dexter, qualidades indispensáveis para sobreviver na periferia. O rapper tem 29 anos de carreira, suas primeiras composições foram inspiradas pelos grupos Public Enemy, NWA, Kool Moe Dee e Racionais MC’s. Para ele, a música é uma ferramenta de disseminação de cultura, conhecimento e valores, e é graças a ela que tem visto sua vida mudar. Já lançou três DVDs em uma série chamada “Dexter & Convidados”, em que contou com as participações mais que especiais como: Ed Motta, Vanessa Jackson, Rappin Hood, Péricles, Mano Brown, DJ Kl Jay, Edi Rock, Pinha, DJ Cia, Ao Cubo, Guilherme Arantes, Paula Lima, Katinguelê, Thaíde, Juninho do Banjo, Terra Preta e Seu Jorge. Privado de sua liberdade por 13 anos, Dexter reconhece os deslizes do passado e os encara como aprendizado. Hoje essa experiência é compartilhada com pessoas de todo país, através de palestras, bate papos, shows e eventos, que agora são negociados pela sua própria produtora, em São Paulo, a 8º Anjo Produções. Para ele, a música é uma ferramenta de disseminação de cultura, conhecimento e valores, e é graças a ela que tem visto sua vida mudar.

DJ Nedu Lopes, em três décadas de profissão, com resultados expressivos em campeonatos de DJs como o Red Bull 3Style e o Kame World Classic, já representou o Brasil em países como França, Canadá, EUA e Nova Zelândia, colocando o nome do país entre os primeiros do mundo todas as vezes que competiu. Além da atuação em competições mundiais, já se apresentou em diversas cidades pelo mundo passando por 19 países entre Europa, Ásia, Oceania e as Américas, levando seu estilo Open Format que abrange gêneros do Hip Hop ao Eletrônico, passando por diversos outros como Rock, Reggae e Old School. Após se tornar tricampeão do 3Style, foi convidado pela Red Bull para ser o curador e um dos jurados da competição no Brasil. Além deste, é frequentemente convidado a compor o júri de competições como DMC, Hip Hop DJ, IDA, Pro Scratch Brasil e Soco Na Gangrena. É também instrutor na DJ Ban Music Center, o maior centro de música eletrônica da América Latina, e “artist endorsed” das marcas Pioneer DJ e Serato. Como produtor lançou diversas faixas por selos nacionais e internacionais como: Trama, Black White Records, Mic Mac Records, Virale Records, Houzone Music, Anarchy In The Funky Records e Paradise Party.

O projeto Diversidade Periférica traz mensalmente para o Memorial Minas Gerais Vale uma programação artístico-cultural com conteúdos que mergulham na trajetória ancestral dos becos e vielas do espaço de saber chamado Favela, e também das comunidades de periferia de Belo Horizonte e vizinhanças.

Patrícia Alencar, curadora do Diversidade Periférica, é mineira nascida na Favela do Morro do Papagaio, em Belo Horizonte. É ativista social, gestora cultural, arte educadora e dançarina, engajada na luta contra o racismo e pela igualdade social, desenvolve suas atividades desde 1998. Hoje é uma das Diretoras da CUFA (Central Única de Favelas), co-fundadora da Frente Favela Brasil e também faz parte da Associação Sócio Cultural Bataka. Produziu eventos de relevância para Belo Horizonte, como o Dia das Favelas, Taça das Favelas, Carnafavela, Hip Hop Rua, entre outros. Sua atuação tem como premissa a transformação social por meio das artes e por meio do protagonismo de moradores de favelas.

28/11 – H-CPU, COM DADYER AGUILERA

No dia 28 de novembro, domingo, às 18 horas, o bailarino Dadyer Aguilera apresenta o espetáculo H-CPU, no YouTube do Memorial Vale. Na dança, um corpo tomado por diferentes forças internas, memórias, lembranças que lutam para se manifestarem de forma rápida e intensa. Essas forças se encontram em tempo real com interferências e realidades externas, iniciando-se assim uma batalha corporal entre o que se encontra dentro e fora dele. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo”, do Memorial Vale.

Dadyer Aguilera é um artista da dança inquieto, formado pela escola cubana de ballet há mais de 30 anos. Dançou os grandes clássicos de repertórios mundiais e integrou diferentes companhias de dança, como Ballet de Camaguey, de Cuba e Companhia de Dança do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Participou de inúmeras montagens e criações em colaboração com artistas de diversas origens e linguagens. Atualmente, se dedica à criação e à investigação em dança contemporânea.

29/11 – CONCERTO “PULSO NEGRO”, COM FRANCISCA GARCIA E SANTIAGO

No dia 29 de novembro, segunda-feira, às 19h30, a violoncelista Francisca Garcia e o pianista Santiago Vasconcelos apresentam o concerto “Pulso Negro”, no YouTube do Memorial Vale. Pulso Negro contempla músicas eruditas advindas de compositoras negras. É evidente que a música clássica possui, em sua maioria, compositores que são homens brancos. Sendo assim, o objetivo é se unir à luta de visibilizar compositoras, mulheres e negras. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo”, do Memorial Vale.

Francisca García, violoncelista, natural do Chile, e Santiago Vasconcelos, pianista do Brasil, se conheceram em Belo Horizonte no ano 2018 e começaram a imaginar e planejar ideias para consolidar um duo interessante de dois instrumentos que na história da música sempre têm se dado maravilhosamente bem. Já trabalharam juntos e por fim veio a oportunidade na convocatória do Memorial Vale para concretar o projeto Pulso Negro, projeto que sem dúvida nenhuma será a primeira de muitas apresentações.

29/11 – “SINTO, LOGO, SOUL!”, COM MARÍLIA SCHEMBRI NO SENSAÇÕES MEMORÁVEIS

No dia 29 de novembro, segunda-feira, às 19 horas, dentro do projeto Sensações Memoráveis a musicoterapeuta Marília Schembri propõe ouvir/sentir afinações e desafinações buscando novas construções, novas conexões, através do encontro “Sinto, Logo Sou!” de cada SER encontrado pelos campos do viver. O projeto Sensações Memoráveis tem a curadoria de Marco Paulo Rolla.

No vídeo, Marília Schembri trabalha um caminhar no território do sentir, no universo do corpo sensível – principal instrumento da sensopercepção, através da arte da auto escuta. O encontro do tempo/atemporal, sentido no poder do silêncio. O corpo, como instrumento sensível, traz em si todos os registros das experiências vividas, presentificando o passado, em forma de sensações sentidas. Construir uma escuta autêntica do território do sentir, ampliar o espaço da expressão para que manifestem os personagens que nos habitam internamente. Trabalhar com o diálogo entre o silêncio, som, ritmo, harmonia.

Marilia Schembri é musicoterapeuta, terapeuta em Somatic Experiencing e Constelação Familiar Sistêmica e certificada em Bodynamic Foundation Training.

O projeto Sensações Memoráveis visa estimular práticas onde o bem-estar é aliado ao fazer artístico, como o desenvolvimento de uma linguagem e/ou produto cultural. Está pautado pela linha do sensível, pela escuta, pela delicadeza, pelo cuidado, o surpreender e o rever da presença, afetos e ações na vida. Ser um espaço de reconexão através da arte e de temas fundamentais para o bem-estar físico e mental, além da apreciação artística como uma forma de se sentir humano na existência do sensível.

30/11 – “UM POUCO DE SOUL”, COM JOANNE FERNANDES

No dia 30 de novembro, segunda-feira, às 19h30, a cantora Joanne Fernandes apresenta o show “Um pouco de soul”, no YouTube do Memorial Vale. Joanne vai mostrar composições autorais, cuja proposta principal é espalhar alegria e positividade, com músicas e ritmos contagiantes. A ideia é levar ao público a música pop com pegada de soul brasileiro. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Gerais, Cultura de Minas”, do Memorial Vale.

Joanne é cantora, compositora e saxofonista. Natural de Diamantina, teve seu primeiro encontro com a música aos 4 anos, cantando em corais. Pouco mais tarde, passou a integrar a Banda Mirim Prefeito Antônio de Carvalho, onde aprendeu seu instrumento. Em dez anos de carreira, percorreu uma trajetória diversificada, cantando em shows, musicais, eventos e festivais, acumulando experiências e refinando sua identidade musical. Em 2020, lançou no carnaval de Diamantina seu novo formato de show, com músicas autorais e covers, com a parceria do produtor e saxofonista Mário Cunha.

ATÉ 29/11 – SEMINÁRIOS E LABORATÓRIOS “DIÁLOGOS SOBRE EDUCAÇÃO, ARTE E CULTURA: PEDAGOGIAS DECOLONIAIS”

De 3 a 29 de novembro os núcleos educativos dos espaços culturais mantidos pelo Instituto Cultural Vale farão encontros para pensar e realizar um mês dedicado à educação. Juntos formularam uma série de programações destinadas a discutir aspectos e relações entre educação e atuação institucional a partir do tema Pedagogias Decoloniais. O evento contará com seminários, rodas de conversa, laboratórios e outras atividades que proporcionarão momentos de troca e formação do pensamento crítico sobre as práticas institucionais e a possibilidade de novas abordagens. A programação completa está nos sites dos espaços Memorial Minas Gerais Vale, Museu Vale, Casa da Cultura de Canaã dos Carajás e Centro Cultural Vale Maranhão.

Laboratórios:

– dias 22 e 29/11, às 11h no canal do YouTube; às 11h, 15h e 19h, com trechos no Instagram. Artistas: Rio Bantu, Fulô do Kariri e Zaika dos Santos.

Nos canais:

https://www.youtube.com/user/memorialvale

www.instagram.com/memorial.vale

EXPOSIÇÕES EM ANDAMENTO

ATÉ 9/12 – EXPOSIÇÃO COLHERES, COM HANA BRENER

Até 9 de dezembro a fotógrafa Hana Brener exibe no site do Memorial Vale a exposição “Colheres”. A série Colheres mergulha em memórias, sabores e saberes, numa investigação das simbologias da colher de pau associada à comida, à cozinha, às mães, avós, mulheres. Corpos objetos, limpeza, obediência, cuidado, afeto, família, alimento e comunidade em confronto à colonialidade sobre corpos e fazeres. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

Hana Brener é performer, arte-educadora, artista visual e bailarina pesquisadora. Formada em Biologia pela Universidade Federal de Viçosa, pesquisando os entrelaçamentos entre Arte e Agroecologia. Integra o Coletivo Riacho, no qual desenvolve trabalhos nas interfaces

dança/teatro/fotografia/performance/instalação em investigações artísticas que mergulham nas nuances do existir corpo na relação com símbolos, mitos e ritos da nossa cultura. Vem atuando como performer criadora no espetáculo Odre (2018) e se dedicando ao Projeto Ações Imprevistas e à Série de Fotoperformance Colheres.

ATÉ 23/12 – EXPOSIÇÃO “PASSAGENS’, DE MARIA VAZ

Até 23 de dezembro a fotógrafa Maria Vaz realiza no site do Memorial Vale, a exposição “Passagens”. As fotografias são reconstruídas por meio de sobreposições, apagamentos e recortes, como também fazem a memória e a imaginação. Entre camadas, se perdem e se encontram as memórias vividas e as imaginadas, confunde-se real e fabulação, dentro e fora, público e familiar. A exposição foi selecionada pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

Maria Vaz é artista visual, fotógrafa e pesquisadora, bacharel em Artes Plásticas pela Escola Guignard/UEMG e mestranda em Artes Visuais pela UFMG. Em seus trabalhos trata da relação entre a memória individual e coletiva através da poética e da fabulação, desenvolvendo uma produção híbrida por meio de experimentações entre imagem e palavra, analógico e digital e o uso de arquivos públicos e familiares. É co-fundadora do duo Paisagens Móveis, onde trabalha em parceria com Bárbara Lissa, e membro dos coletivos/plataformas plataformas Women Photograph e Mulheres Luz. Participou de diversas exposições no Brasil. Em 2021 publicou seu primeiro fotolivro, junto do duo Paisagens Móveis, com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. No mesmo ano foi selecionada pelo prêmio Pierre Verger e finalista nos prêmios Lovely e Foto em Pauta para a publicação de fotolivros.

ATÉ 17/12 – EXPOSIÇÃO “CENTENNIALS”, DE MÁRCIA CHARNIZON

Até 17 de dezembro o Memorial Vale traz um link (banner) para mostrar a galeria virtual multimídia “Centennials”, da fotógrafa Márcia Charnizon, que propõe um encontro com pessoas entre 16 e 19 anos, que cresceram com a cibercultura e não conheceram o mundo sem internet. Trata-se da primeira geração que teve a adolescência atravessada pela pressão e a ambiguidade da expressão das redes sociais e que está crescendo num tempo de colapso do edificio binário: homem X mulher, feminino X masculino/heterossexual X homossexual. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

Conforme explica Márcia, neste projeto “escutei e fotografei adolescentes de realidades diversas, (mulheres cis/ transgênero e pessoas não binárias) que desde muito cedo tem a vivência marcada por estarem na contramão de padrões ditados pela nossa sociedade, seja

através do corpo, de questões da sexualidade, gênero, raça, relações familiares ou tudo isso junto”. Em “Centennials” a artista busca dar visibilidade para esses corpos e suas coreografias, tatuagens, músicas, grafites e poesias, as cores dos seus cabelos e seus piercings, e fazer ouvir palavras que desconhecemos, gírias incompreensíveis e realidades que não eram nomeadas. Para esse jardim de dualidades e indefinições que é “Centennials”, Márcia Charnizon criou retratos que surgem ao lado do que seria o oposto de alguma representação – gifs animados em pixels (quase) indefinidos que tornam-se a própria performance. O trabalho reúne pedaços de imagens desconstruídas que se movimentam num fluxo contínuo e retratos que nos encaram. Os visitantes da galeria virtual serão embalados pelas vozes adolescentes, que, como protagonistas de suas próprias histórias, nos lembram sobre o devir como estado constante.

Márcia Charnizon é natural de Belo Horizonte e graduada em Comunicação Social pela PUC-MG. Começou a fotografar em 1983, combinando práticas artísticas diversas (fotografia, vídeo, escrita e arte sonora). Tem uma especial atuação no campo da criação de memória e a produção de novos sentidos com a fotografia de família, com trabalhos reconhecidos no Prix de la Photographie Paris, de 2009 a 2011. Seu livro “Memorabília da Casa do Azevedo” recebeu o XIII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, em 2013. A imagem, para Márcia , é sempre uma construção junto à pessoa fotografada com a escuta de histórias , dores e desejos mais íntimos. Márcia acredita que a potência do seu trabalho acontece dentro do espaço da intimidade, espaço que de fato a interessa.

ATÉ 07/01/22 – EXPOSIÇÃO “SOBRE PEDRAS E NUVENS”, DE MAÍRA MANCINI

Até 7 de janeiro o Memorial Vale apresenta a exposição de fotografias de Maíra Mancini: “Sobre Pedras e Nuvens”, elaborada nos tempos de pandemia. Trata de questões humanas universais e, ao mesmo tempo, subjetivas, em meio a angústias e autorreflexão sobre sentimentos que vivenciamos: de medo, isolamento, tensões e buscas por sentido. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

“Assim como as grandes guerras e outros momentos na história influenciaram trabalhos de artistas, pelo estilo ou tema, a pandemia que se iniciou em 2020 marcará para sempre nossas vidas”, reflete Maíra. A exposição, através de uma série de 12 fotografias dípticas, propõe a mistura de opostos: o peso e leveza desses dias, a pedra — rígida e áspera — e a nuvem — fluida e penetrável.

Maíra Mancini é mestranda em artes na EBA-UFMG, arquiteta e artista visual, possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016) e graduação sanduíche em Paisagismo pela University College Dublin (2015). Atualmente também estuda Artes Plásticas na Escola Guignard, UEMG. Possui experiências interdisciplinares nas áreas de Arquitetura, Urbanismo e Design.

Memorial Minas Gerais Vale – 10 anos com você

O Memorial Minas Gerais Vale está completando 10 anos com muitas histórias para contar. O museu já recebeu mais de 1,1 milhão de pessoas, de todos os lugares do Brasil e de outros continentes. São mais de 1.600 eventos realizados e cerca de 200 mil pessoas em visitas mediadas. Integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, um dos maiores complexos de cultura do Brasil. Caracterizado como um museu de experiência, com exposições que utilizam arte e tecnologia de forma intensa e criativa, é um dos vencedores do Travellers’ Choice Awards do TripAdvisor. Na curadoria e museografia de Gringo Cardia, cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes do século XVIII ao século XXI.

Mais que um espaço dedicado às tradições, origens e construções da cultura mineira, o Memorial é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura, onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação. É vivo, dinâmico, transformador e criador de confluências com artistas independentes e com diversos segmentos da cultura mineira.

Circuito Liberdade

O Memorial Minas Gerais Vale é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

Memorial Vale na web:

http://www.memorialvale.com.br

https://www.facebook.com/memorialvale

https://www.instagram.com/memorial.vale

https://www.youtube.com/user/memorialvale

www.memorialvale.com.br/visite/visita-virtual/

Hashtags usadas nas postagens do Memorial Vale na quarentena:

#MemorialValeEmCasa

#MuseumsAndChill

#MemorialValeNosUne

#ValePatrocina