Câmara de São Gonçalo promove palestra sobre Campanha do Outubro Rosa

Como parte da campanha interna do Outubro Rosa na Câmara Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, a Escola do Legislativo Isabel Rodrigues realizou uma palestra de conscientização...

310

Como parte da campanha interna do Outubro Rosa na Câmara Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, a Escola do Legislativo Isabel Rodrigues realizou uma palestra de conscientização e prevenção ao câncer de mama, destinada aos vereadores, assessores e funcionários da Casa. A apresentação aconteceu na última quarta-feira (20), no auditório da Sede do Legislativo, sendo ministrada pela estudante de Serviço Social e membro da Escola do Legislativo, Poliana Francisca dos Santos.

Para dar início ao evento, o Presidente da Câmara, vereador Diego José Ribeiro (PDT), falou sobre a necessidade de promover a campanha do Outubro Rosa. “Podemos dizer que a prevenção à doença começa com a informação, orientando e incentivando as mulheres a se cuidarem o ano inteiro. Por isso, eventos como este são muito importantes para conscientizar a nossa comunidade, buscando a salvar vidas”, declarou.

Em seguida, a palestrante explicou sobre a origem da campanha do Outubro Rosa, o que é o câncer de mama e os seus fatores de risco, como também orientou acerca dos principais sintomas, dos métodos de prevenção e do tratamento. Poliana apresentou os dados obtidos pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer), que mostram que o câncer de mama é o de maior incidência em mulheres no estado de Minas Gerais, com a previsão de 66.280 diagnósticos em 2021, sendo 1% em homens. Além disso, 4 a 5 casos ocorrem em mulheres acima dos 50 anos.

Segundo Poliana, os fatores de risco mais comuns são o tabagismo, a obesidade, o sobrepeso após a menopausa, o sedentarismo, o consumo de bebidas alcoólicas, a exposição frequente à radiação ionizante (Raio-X), a alteração e predisposição genética a desenvolver a doença, entre outros. Em relação aos sintomas, os principais são: caroço (nódulo) fixo, endurecido e geralmente indolor, pele da mama avermelhada ou enrugada, alteração no bico do peito e pequenos nódulos abaixo da região dos braços, axila ou no pescoço.

No entanto, 30% dos casos podem ser evitados, como por meio do autoexame das mamas. Sendo assim, Poliana incentivou as mulheres a conhecerem o seu próprio corpo e a realizarem o autoexame, por meio do toque com a ponta dos dedos, uma vez por mês. Se sentir um nódulo ou outra alteração no seio, é preciso procurar por atendimento médico. A partir dos 50 anos, as mulheres devem começar a fazer o exame da mamografia, enquanto as mais jovens precisam também realizá-lo caso houver um histórico de câncer na família, ou se detectarem alguma mudança nos seios.

Ainda sobre os cuidados preventivos, Poliana destacou o papel fundamental da prática de exercícios físicos e de uma alimentação saudável. “Muitas vezes, nós nos preocupamos com a estética, mas as atividades físicas e uma boa alimentação são importantes também para a nossa saúde, ou seja, elas nos protegem contra uma série de doenças, como o câncer de mama”, explicou. Além disso, criar outros hábitos saudáveis, como não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas, é considerado essencial.

O tratamento é oferecido pelo SUS e depende do tipo do câncer, sendo geralmente a quimioterapia, a radioterapia, a hormonioterapia e cirurgias (do tumor ou a retirada total da mama) como opções. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, menos invasivo poderá ser o tratamento. Para finalizar, Poliana deixou a mensagem de que existe vida após o câncer e que, por isso, nunca se deve desistir.

vídeo da gravação da palestra pode ser assistido no canal do Youtube da Câmara Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo.