TEATRO, LITERATURA E CAFÉ, E SERENATA NA SEMANA DE 27 A 30, NO MEMORIAL VALE

A última semana de setembro no Memorial Vale traz como estreias a peça Diógenes, com o ator Alexandre Toledo, o sarau “Clic – Circuito de Literatura e Cafés”,...

68

A última semana de setembro no Memorial Vale traz como estreias a peça Diógenes, com o ator Alexandre Toledo, o sarau “Clic – Circuito de Literatura e Cafés”, apresentado por Luciano Viana e o show-serenata “Ser-Estar: Música para ouvir de longe”, com Alexandre Moraes, de Juiz de Fora. Para o Dia Mundial do Turismo (27 de setembro) o Educativo do Memorial Vale preparou uma sequência de Reels no Instagram para comemorar a data, que serão postados hoje às 18 horas.

 Continuam em andamento as exposições “Memorial Chapadão da Zagaia”, de Rodrigo Garcia, “Festejar as Cores: Tradição e Fé na Congada”, de Pollyanna Assis, “Paisagens do Isolamento, de Daniel Mansur”, “Lastro”, de Washington da Selva, “Entre a Fenda e o Abismo”, de Bárbara Schall, e a performance: “Diário de uma mãe performer”, com Dayane Lacerda.

 A programação foi selecionada por meio da Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e continua online, seguindo o planejamento do #MemorialValeEmCasa, feitas pelo Youtube, nas redes sociais do espaço (facebook e instagram) e no site. As transmissões feitas pelo Youtube ficam disponíveis permanentemente no canal do Memorial.

27/09 – DIA MUNDIAL DO TURISMO

Em celebração ao Dia Mundial do Turismo, comemorado em 27 de setembro, hoje (27) às 18 horas serão postados 10 pequenos vídeos no estilo Reels no Instagram do Memorial Vale onde será feita uma relação entre as salas expositivas do museu e as tipologias do Turismo.

 27/09 – SHOW “SER-ESTAR: MÚSICA PARA OUVIR DE LONGE”, DE ALEXANDRE MORAES

Dia 27 de setembro, segunda-feira, às 19 horas, o músico e compositor Alexandre Moraes fará o show “Ser-Estar: Música para Ouvir de Longe”, no YouTube do Memorial Vale. A apresentação é inspirada em um projeto criado em 2020 por Alexandre Moraes em Juiz de Fora, durante a pandemia, formado por serenatas instrumentais de 30 minutos. Nestas serenatas, chamadas “Ser-Estar: Música para ouvir de longe”, o contratante escolhia 3 músicas a serem interpretadas pelos músicos e outras 5 composições de uma listagem que compõe o repertório do projeto (que inclui clássicos como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Dilermando Reis, Villa Lobos, Andres Segovia, Adoniran Barbosa, Pena Branca e Xavantinho, Luiz Gonzaga, Athaufo Alves, Jamelão e Violeta Parra). Nessa apresentação especial para o Memorial Vale serão tocadas: Carinhoso e Lamentos (de Pixinguinha), Bacciana 5 (Villa Lobos), Corta Jaca (Chiquinha Gonzaga) e Gabriela (autoral de Alexandre Moraes). O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Gerais Cultura de Minas”.

 Foram mais de 100 serenatas realizadas em 2020 na cidade de Juiz de Fora, muitas delas oferecidas por parentes, para comemorar datas importantes ou acalentar quem sozinho estava. Na sua maioria foram feitas em parceria com outros músicos, com diferentes formações instrumentais: violão e sanfona; violão e violino; violão e saxofone.O formato remete ao espírito dos antigos teatros espanhóis, onde as ruas eram o palco e os moradores assistiam dos balcões, das janelas, das sacadas, dos jardins de suas casas, com menos euforia de uma plateia grande, porém, com a mesma vivacidade da presença.

 Para esse edital do Memorial Vale, Alexandre Moraes irá oferecer uma serenara instrumental na Praça da Estação de Juiz de Fora – local que guarda a memória da rua, da resistência, da participação popular e ativa dos moradores da cidade, e que naquele momento encontrava-se vazia. Queremos ecoar essas memórias através de um vídeo, registrando a música ecoando sobre essa arquitetura que guarda outros sons. O registro audiovisual da serenata será feito exclusivamente para ser transmitido pelo Memorial da Vale, dentro da programação musical do edital.

29/09 E 30/09– SARAU “CLIC – CIRCUITO DE LITERATURA E CAFÉS”, COM LUCIANO VIANA

Dia 29 de setembro, quarta-feira, às 19 horas e dia 30, quinta-feira, às 19h30, o produtor cultural Luciano Viana apresenta o sarau “Clic – Circuito de Literatura e Cafés”, no YouTube do Memorial Vale. O evento é focado na literatura contemporânea e nos cafés especiais produzidos em pequena escala. Nesta edição online, a barista e mestre de torra Rafaela Rodrigues apresentará um vídeo sobre o processo de produção do café, da semente à bebida pronta, e o jornalista e pesquisador Carlos Andrei Siquara media um debate com proprietários de livrarias de Belo Horizonte sobre o mercado para a literatura no pós-pandemia. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

 Realizado pela produtora cultural Quente (quente.org.br), a ideia do Clic é promover um evento que une literatura e gastronomia de um jeito leve e informal. Em suas edições anteriores participaram escritoras como Joselia Aguiar (ganhadora do Prêmio Jabuti de Melhor Biografia e ex-curadora da Flip), Lourenço Mutarelli, Joice Berth, Ana Elisa Ribeiro, Brisa Marques, Alê Youssef e Ing Lee, entre outros. Mais informações também no instagram.com/musicaquente.

 30/09 – PEÇA DIÓGENES, COM ALEXANDRE TOLEDO

Dia 30 de setembro, quinta-feira, às 19h30 o ator Alexandre Toledo apresenta no YouTube do Memorial Vale a peça “Diógenes”. O espetáculo é um solo com texto e atuação de Alexandre Toledo e direção de Fernando Chagas. É um monólogo sobre um morador de rua, livremente inspirado no filósofo grego Diógenes. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

 Quem é Diógenes? Alexandre Toledo nos conta que o personagem é um morador de rua e que foi inspirado no filósofo Diógenes que viveu na Grécia no IV século antes de Cristo. Diógenes passou para a história como o cínico e muitas de seus ditos ecoaram pelos séculos seguintes e foram recolhidos no texto apresentado por Toledo. “Meu personagem é um morador de rua profundamente crítico com o mundo o que o cerca”, diz o ator e dramaturgo. “Ele nasceu da necessidade de me posicionar frente o que estava acontecendo no Brasil em 2013 e cujos reflexos continuam produzindo resultados bem nefastos até nossos dias”. Durante 50 minutos, o morador de rua, uma espécie de filósofo, poeta, sociólogo, revolucionário marginal, dispara suas pérolas para a plateia. Mas tudo o que fala esconde uma dor que aos poucos vai se revelando. Diógenes fala do mundo para falar de si e de suas dores.

 Alexandre Toledo é ator formado pelo Cefart/Palácio das Artes. É também diretor, produtor e dramaturgo. Seus principais trabalhos são: O Contrabaixo (Prêmio Sinparc de melhor ator de 2005), Auto da Compadecida (Prêmio Sinparc de melhor espetáculo adulto em 2009), Senhora dos Afogados, Dois na Pista, Boca de Ouro, Arte.

ATRAÇÕES EM ANDAMENTO

 ATÉ 30/09 – “DIÁRIO DE UMA MÃE PERFORMER”, COM DAYANE LACERDA

De 1º a 30 de setembro, às 10 horas, a artista Dayane Lacerda Queiroz apresenta no YouTube do Memorial Vale a performance “Diário de uma mãe performer”. Dayane define assim a sua produção: “Sou atriz, branca, mãe e bissexual. Esse vídeo performer é um manifesto caseiro feito pelo celular, em 30 capítulos, um registro de nós. A maternidade é dolorida, solitária, e afoga nossos corpos em demandas machistas inaceitáveis. Portanto, sejamos livres e revolucionárias.” A exibição do documentário integra o projeto Performance no Memorial – Gerais Cultura de Minas e a Programação especial de 10 anos do Memorial Vale. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021.

 Dayane Lacerda é atriz, mãe e performer. Mestre em artes pela UFMG, pesquisa a relação entre autoficção e processos corporais cênicos; performance e redução de danos; arte e saúde mental. Atua também como professora e diretora de teatro.

 29/09 – SEMENTES DA DIÁSPORA

Todas as quartas-feiras, às 14 horas, o Educativo realiza a instalação “Sementes da Diáspora”. Iniciada em 2019, a ação consiste numa instalação na qual a partir de cards (envelopes com sementes de plantas de origem africana estampados com imagens e informações sobre personalidades afro) instalados no Baobá construído pelo Educativo, o visitante é convidado a “colher” essas sementes e refletir sobre o apagamento do protagonismo negro na nossa história. Nesses tempos de distanciamento por causa da pandemia, a ação continua de forma virtual, nas redes sociais do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

 01/10 – DICAS PRETAS

Às sextas-feiras, às 11 horas, o Educativo divulga as “Dicas Pretas”. São pílulas, com dicas de livros, filmes, etc. com temática étnico racial e produzida por pessoas negras, dando um destaque para produções literárias destinadas ao público infantil. O objetivo é contribuir para discussões sobre as questões étnico raciais, trazendo indicações de conteúdo que ajudem a refletir e conhecer mais sobre a identidade negra. A ação acontece no Instagram do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

 EXPOSIÇÕES EM ANDAMENTO

 ATÉ 29/09 – “MEMORIAL CHAPADÃO DA ZAGAIA”, COM RODRIGO GARCIA

Até 29 de setembro o fotógrafo Rodrigo Garcia apresenta, no site do Memorial Vale, a exposição “Memorial Chapadão da Zagaia”. A mostra foi selecionda pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021. O projeto propõe uma investigação visual sobre o arraial de Desemboque, distrito da cidade de Sacramento, em Minas Gerais, que apesar de possuir grande importância histórica para a região do Triângulo Mineiro, caminha para tornar-se uma cidade-fantasma. A exposição integra o projeto Mostra de Fotografia do Memorial Vale e faz parte da Programação da Semana do Patrimônio 2021, ação conjunta do Memorial Vale com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Cultural, celebrado em 17 de agosto.

 Rodrigo Garcia, de Uberaba (MG), é formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Presidente Antonio Carlos (Unipac). Foi durante a graduação que descobriu sua paixão pela fotografia. As influências, no entanto, vinham desde a infância, a partir de aulas de desenho e pintura e das imagens da família registradas pela mãe, espalhadas pela casa. Ao longo da carreira, trabalhou nas áreas de marketing, cobertura de eventos, edição de álbuns de casamento e tratamento digital de fotografias e, desde 2012, atua como fotógrafo da Câmara Municipal de Uberaba, cidade do interior do Estado de Minas Gerais. Em 2016 passou a se dedicar a projetos de fotografia documental, contando histórias do cotidiano e de comunidades rurais no interior de Minas Gerais. Já participou de dez exposições, individuais e coletivas, que lhe renderam premiações como o primeiro lugar no Salão de Arte Fotográfica de Ribeirão Preto, em 2018. Também foi selecionado pela convocatória “Portfólio em Resumo”, promovida pelo site Resumo Fotográfico, em 2019, pela “Mostra Refúgios”, feira de fotografia organizada pela Margem Hub de Fotografia, em 2020 e Festival Photohings em 2021 que lhe rendeu a publicação do seu primeiro fotolivro.

 ATÉ 05/10 – “FESTEJAR AS CORES: TRADIÇÃO E FÉ NA CONGADA”, DE POLLYANNA ASSIS

Até o dia 5 de outubro, a fotógrafa Pollyanna Assis apresenta, no site do Memorial Vale, a exposição “Festejar as Cores: Tradição e Fé na Congada”. A mostra foi selecionda pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021. Trata-se de uma série de fotografias realizadas na cidade de Ouro Preto, em 2014, durante a Festa do Reinado de Nossa Senhora do Rosário e de Santa Efigênia. O objetivo do registro das imagens é contribuir para a preservação dessa importante tradição mineira. A exposição integra o projeto Mostra de Fotografia do Memorial Vale e faz parte da Programação da Semana do Patrimônio 2021, ação conjunta do Memorial Vale com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Cultural, celebrado em 17 de agosto.

 Pollyanna Assis é artista, produtora cultural e editora de livros, experimenta nas artes gráficas como diagramadora de livros e nas artes visuais com fotografia experimental. Também cria em linguagens artísticas como o desenho, a cerâmica e a gravura em metal. Desenvolve projetos para leis de incentivo e editais desde o ano de 2014. Atualmente seu foco é produzir o trabalho de mulheres artistas, com o objetivo de fomentar e valorizar a inclusão de mais mulheres nos seguimentos culturais, tanto na criação artística e cultural como na gestão de projetos. Sua aproximação com as artes inicia-se com o trabalho de edição de livros, produção cultural e fotografia.

 ATÉ 15/10 – “PAISAGENS DO ISOLAMENTO”, DE DANIEL MANSUR

Até 15/10 o fotógrafo Daniel Mansur apresenta, no site do Memorial Vale, a exposição “Paisagens do Isolamento”. As fotos foram registradas entre as quatro paredes da casa do autor durante o isolamento. As projeções de luzes e sombras revelam paisagens singulares e cheias de significados. A exposição foi selecionda pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto Mostra de Fotografia do Memorial Vale.

 Daniel Mansur é fotógrafo de Belo Horizonte, formado em Publicidade pela PUC MINAS em 1987. Atua na fotografia autoral, de arte, publicitária, arquitetura e editorial. Já realizou dezenas de exposições, no Brasil e no exterior.

 ATÉ 25/10 – “LASTRO”, DE WASHINGTON DA SELVA

Até 25 de outubro o artista Washington da Selva apresenta no site do Memorial Vale a exposiçao Lastro. O trabalho nasce de uma pesquisa em que Da Selva procura imagens relevantes para uma construção da memória do trabalho de seus familiares como agricultores, recorrendo a acervos digitais. O artista utiliza solvente para imprimir as imagens manualmente em cupons de registro de ponto do trabalhador de seu último emprego. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021, integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial e faz parte da Programação especial de 10 anos do Memorial Vale.

Washington da Selva é artista e pesquisador. Graduado em Artes e Design pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e Mestre em Artes, Cultura e Linguagens pela mesma instituição. Atualmente, tem se interessado pelos procedimentos de deslocamento e apropriação na paisagem. Experimenta a construção de uma poética autoetnográfica, onde utiliza de narrativas de experiências familiares de trabalho na zona rural do Cerrado de Minas Gerais. É bolsista do Lab Cultural 2021, programa de incentivo a processos artísticos do BDMG Cultural, onde pesquisa as roupas de proteção utilizadas no trabalho rural da região do Cerrado de Minas Gerais.

 ATÉ 05/11 – EXPOSIÇÃO “ENTRE A FENDA E O ABISMO”, DE BÁRBARA SCHALL

Até dia 5 de novembro a fotógrafa Bárbara Schall abre a exposição “Entre a Fenda e o Abismo”, no site do Memorial Vale. “Entre a Fenda e o Abismo” é uma exposição fotográfica que coloca em diálogo dois territórios, o primeiro localizado na Rota do Diamante, na região da cidade de Diamantina, no Brasil e o segundo localizado no Caminho dos Incas, na região mais árida do mundo, Quilágua, em Atacama, Chile. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

 Bárbara Schall (1984, Belo Horizonte, Brasil) vive e trabalha atualmente em Belo Horizonte, Minas Gerais. Formada em Bacharelado em Artes Plásticas pela Universidade Estadual de Minas Gerais – Escola Guignard e especialização em fotografia pela Akademie der Bildenden Künste München (DAAD). Atualmente é mestranda em Artes Visuais na Escola de Belas Artes, UFMG, bolsista CAPES. Colaborou como artista em exposições coletivas e realizou exposições individuais. Possui trabalhos no MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto, MAM – RJ – Coleção Gilberto Chateaubriand e MAC – Niterói.

Memorial Minas Gerais Vale – 10 anos com você

O Memorial Minas Gerais Vale está completando 10 anos com muitas histórias para contar. O museu já recebeu mais de 1,1 milhão de pessoas, de todos os lugares do Brasil e de outros continentes. São mais de 1.600 eventos realizados e cerca de 200 mil pessoas em visitas mediadas. Integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, um dos maiores complexos de cultura do Brasil. Caracterizado como um museu de experiência, com exposições que utilizam arte e tecnologia de forma intensa e criativa, é um dos vencedores do Travellers’ Choice Awards do TripAdvisor. Na curadoria e museografia de Gringo Cardia, cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes do século XVIII ao século XXI.

 Mais que um espaço dedicado às tradições, origens e construções da cultura mineira, o Memorial é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura, onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação. É vivo, dinâmico, transformador e criador de confluências com artistas independentes e com diversos segmentos da cultura mineira.

 Circuito Liberdade

O Memorial Minas Gerais Vale é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

Memorial Vale na web:

http://www.memorialvale.com.br

https://www.facebook.com/memorialvale 

https://www.instagram.com/memorial.vale 

https://www.youtube.com/user/memorialvale

www.memorialvale.com.br/visite/visita-virtual/

Hashtags usadas nas postagens do Memorial Vale na quarentena:

#MemorialValeEmCasa

#MuseumsAndChill

#MemorialValeNosUne

#ValePatrocina