Tipos de pílulas: qual engorda, diferenças e as mais perigosas entre as 17 mais usadas

As marcas de pílulas mais usadas pelas brasileiras têm em suas composições uma infinidade de hormônios com características, indicações e efeitos colaterais distintos. Quais tipos existem? Pílula combinada – une duas substâncias...

20

As marcas de pílulas mais usadas pelas brasileiras têm em suas composições uma infinidade de hormônios com características, indicações e efeitos colaterais distintos.

Quais tipos existem?

Pílula combinada – une duas substâncias distintas – geralmente derivadas de progesterona e estrogênio (que pode se apresentar como etinilestradiol ou estradiol), reduzindo o fluxo menstrual e as cólicas.

Simples – São aquelas pílulas cuja fórmula contém apenas um hormônio, normalmente proveniente da progesterona, o que gera menos efeitos colaterais.

Apesar das diferenças, ambas as formas possuem 98 a 99% de eficácia se forem usadas corretamente, já que hábitos ruins podem diminuir a eficácia da pílula.

A seguir, explicamos os principais detalhes que você precisa saber sobre os contraceptivos orais mais adotados pelas brasileiras:

Anticoncepcional: nomes dos mais usados e suas diferenças

Allestra 20 ou 30

Ambos são pílulas combinadas que têm etinilestradiol, um derivado sintético do estrogênio, e gestodeno, semelhante à progesterona. A diferença dos números no final de cada nome se refere à dosagem de hormônio que cada cartela possui, sendo necessário consultar um especialista para definir qual é a melhor escolha para cada pessoa. Com 21 comprimidos, o Allestra prevê uma pausa de sete dias mas também é possível emendar cartelas continuamente, impedindo a menstruação.

Belara

Possui 2 miligramas de acetato de clormadinona e 0,03 de etinilestradiol. O primeiro componente, de acordo com a bula, tem ação positiva sobre acne e seborreia. Cada cartela contém 21 comprimidos e requer um intervalo de sete dias.

Cerazette

Por não ser um anticoncepcional combinado, é indicado para casos em que há risco de trombose, como histórico da doença na família e tabagismo.

Chamado de “pílula da amamentação” ou minipílula, possui um tipo de progesterona denominado desogestrel e sua cartela contém 28 comprimidos de uso contínuo, que impedem que a mulher menstrue. Apesar deste efeito, o ginecologista e obstetra Élvio Floresti afirma que este contraceptivo pode causar sangramentos chamados “escapes”, que acontecem mesmo durante o uso do remédio, e pode ainda aumentar a oleosidade e a acne no rosto.

Ciclo 21

Com 0,15 miligramas de levonorgestrel e 0,03 de etinilestradiol, é boa para regular o ciclo menstrual. Seu preço é atrativo, sendo um dos melhores do setor. Como o próprio nome sugere, tem 21 comprimidos e requer sete dias de pausa entre cada cartela.

Diane 35

Pílula combinada com 0,035 miligramas de etinilestradiol, uma espécie de estrogênio, e ciproterona, semelhante à progesterona. Com fórmula igual a do Selene, é indicada para melhorar a acne, controlar o crescimento de pelos no corpo e tratar ovários policísticos. A cartela possui 21 comprimidos que devem ser sucedidos de uma pausa de sete dias.