Rapaz que morreu após comer massa que ficou 5 dias fora da geladeira é caso de alerta

Refrigerar alimentos quando há sobras de alguma refeição é, apesar de básico, algo absolutamente essencial tanto para manter a integridade do sabor como para fazer com que a...

155

Refrigerar alimentos quando há sobras de alguma refeição é, apesar de básico, algo absolutamente essencial tanto para manter a integridade do sabor como para fazer com que a comida leve mais tempo para estragar. O que muitos não sabem, porém, é que manter esse hábito pode evitar até condições de saúde que levam à morte.

É o que mostra um caso divulgado no periódico norte-americano “Journal of Clinical Microbiology”, em que um rapaz de apenas 20 anos morreu após fazer algo muito simples: consumir sobras de macarrão que já haviam passado alguns dias fora da geladeira.

Morte após ingestão de massa requentada é um alerta

O caso em questão ocorreu em 2008 em Bruxelas (Bélgica) e veio à tona recentemente com a publicação no periódico e sua utilização em um vídeo para o canal do médico norte-americano Dr. Bernard. Conforme relata a análise, o jovem – identificado apenas como AJ – comeu sobras de uma macarronada que já estava há cinco dias fora da geladeira e não demorou a apresentar sintomas de que algo não estava bem.

De acordo com o periódico, imediatamente após comer o alimento – esquentado por ele no micro-ondas –, ele saiu de casa para praticar atividades físicas, algo que teve de abandonar em meia hora quando começou a sentir náuseas e dores na cabeça e abdominais. Em casa, ele passou horas vomitando e, algumas horas depois, teve episódios de diarreia severa.

Certo de que sofrera apenas uma intoxicação alimentar comum, AJ não foi medicado, apenas tomou água, dormiu, e foi encontrado morto pelos pais na manhã seguinte. Nas análises da comida, foi descoberta nas sobras a presença da bactéria bacillus cereus (que costuma causar quadros de intoxicação alimentar), e, apesar de não ser um caso comum, a morte do jovem traz um alerta importante.

De acordo com o periódico, as análises não permitiram concluir com certeza que a morte do rapaz foi causada diretamente pela bactéria, mas, conforme divulgou o veículo britânico “Metro”, dados do órgão belga “National Reference Laboratory for Foodborne Outbreaks” mostraram que ela levou AJ à falência hepática e, posteriormente, à morte.

Ainda de acordo com o jornal, apesar de a bactéria ser comum em casos de intoxicação alimentar, no caso do jovem a toxicidade foi tamanha que levou seus rins à falha.

Em seu vídeo, Dr. Bernard comentou o caso e disse que, apesar de comer sobras de refeições anteriores ser algo absolutamente normal, é necessário cuidado.

“Muitas pessoas comem massa que acabou sobrando há um dia ou dois e estão bem, mas tenha cuidado com comida deixada fora da geladeira por mais de algumas horas. Se a comida tiver um cheiro estranho, é sempre melhor prevenir do que remediar”, alertou.